Meu modo de ser fã

Me lembro da época que conheci a boy band one direction. Eu realmente era extraordinariamente viciada na música one thing (aquela coisa). Eu não sou aqueles fãs conhecidos como apaixonados, loucos por seus ídolos. Sou uma fã bem simples, que gosto e admiro da minha maneira especial. Não tenho um amor louco e nem ataques de histeria. Gosto de ouvir minhas músicas favoritas no último volume do meu fone em meu cantinho. - Muitos fãs vão dizer que de fã não tenho absolutamente nada. Que não entendo esse sentimento e um milhão de outras coisas. - Vou tentar explicar meu modo de ser fã: não vejo o artista como ídolo. Gosto da mensagem, voz, e talento do artista em questão. Mas não o sigo como um ditador de leis, não faço o inimaginável para vê-lo e chamar sua atenção. Não preciso ser vista por eles. Sei que cada like, visualização no seu conteúdo faz toda uma diferença. Gosto de saber da rotina, pensamentos e ideologia e não faço questão alguma de entrar em sua vida. Mesmo sabendo que assim faria uma certa diferença. Sou fã da figura pública e também sou fã do famosíssimo acaso. -Deixo tudo acontecer naturalmente!- Se uma oportunidade de conversar, mandar uma mensagem por rede social, conhece-lo e ir a um show bater em minha porta realmente não irei desperdiça- lá . Se me der uma vontade de presenteia-lo mando algo para sua caixa de correio. Admiro a imensa coragem de diversos fãs que escrevem cartas gigantescas durante anos, vão em todos os shows e assim por loucuras mais elevadas. Mas devo dizer que nada disso: a carta mais gigante, a atitude mais improvável seria capaz de ao menos chegar perto de explicar meu modo diferente de ser fã. Meus parabéns à quem consegue ser desse modo. Eu sou simplesmente diferente do comum, do provável, do imaginável. Minha oração, minha torcida já os ajudam bastante. Não corro atrás, dou meu empurrãozinho bem escondidinho.

Quero Viver

Faltam exatamente sete dias pro meu aniversário. Mal consigo acreditar que passou tão rápido. Estou começando a pensar loucamente em o que fazer. Não sou santa e nem quero ser. Minha mãe disse que não tem coisa melhor que ir pra igreja e agradecer por mais um ano. Mas me pergunto o porquê de ir pra igreja, ficar sentada em um banco recebendo conselhos se já faço isso quase todos os domingos. -Tá certo que não tem coisa melhor do que sentir Deus, mas sentir Deus é só na igreja?- Não quero que seja igual. Todos os anos quando o mês do meu aniversário chega, tudo começa a dar errado. -não é reclamando.- Todos os anos acontece algo que marca meu aniversário com choros, crises, magoas e o infinito de agonia que só de lembrar me sinto mal. Por que devo deixar os prazeres da vida de lado se estou na terra pra viver. -?- Buscar santidade a vida inteira não tem graça, não é vida. Não há perfeição nessa terra. -Perfeição é só no céu!- A terra é o inferno então por que tenho que ser a santa nesse lugar. Nem Deus me cobra santidade. Deus deixou o livre arbítrio para termos escolhas. Se fossemos apenas marionetes comandadas por ele então por que existiria o livre arbítrio. Muitos dizem: eu faço o que Deus quer que eu faça. -Então você já pode ir pro céu, porque você é um santo. Nunca erra correto?- Deus deixou os dez mandamentos e esses mandamentos não são regras e sim condições, termos de adesão do céu. Quem dita leis, regras de como se portar não é Deus e sim a religião. -Doutrina- Existem tantas doutrinas, mas só existe um Deus. Não devo obedecer regras de homens que se acham os “perfeitos da humanidade”. Sou quem eu sou. Sou quem eu aprendi a ser. Não estou roubando, matando e nem infringindo os dez , mandamentos. Sou virgem. -E ai o que esses mesquinhos querem me cobrar?- Não vou me vestir igual, não vou falar igual, não vou deixar de fazer o que gosto só porque uma doutrina impõe o que e como devo fazer. Me batizei não foi na religião, na doutrina. Me batizei: No nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Nesse dia assinei meu nome no termo de adesão do céu e não no termo de adesão da religião. Não vou ser mais uma cópia fajuta de santíssimos homens e mulheres. Não devo nada para esses humanos. Não mendigo amor, companhia e muito menos aceitação desses hipócritas. A maldade está no olhar. Não vivo de aparências. Não é o meu cabelo, a minha roupa que define se eu sou de Deus ou não. Não sou padrão, não vou seguir esse padrão de mentes burras. Pessoas que são comandadas pela religião e desonram o nome de Deus me deixam em pleno ataque de nervos. -acho ridículo!- Um bando de acomodados esperando que Deus desça dos céus e faça o que desejam. -Afinal, será que eles acham que Deus é empregado deles?- Deus ajuda, Deus abençoa, Deus ilumina, Deus mostra a direção certa, Deus livra do mal. Querendo Deus agir homem nenhum pode impedir. Eu não preciso estar todos os dias dentro de uma igreja pra Deus me abençoar. Eu não preciso deixar de ter para dar pros outros só porque quero mostrar serviço e dar bom testemunho. Em primeiro lugar sou eu e minha família. Se sobra do meu pão irei dividir, não irei tirar de minha boca nem da boca da minha família pra dar pra fulano. Outra pessoa que pode dividir irá dividir. Valorizo minha felicidade e meu bem estar, por isso no meu aniversário irei mesmo sair para o famoso “mundo”. -Desde quando ficar preso a quatro paredes te protege de algo?- Se você não for trabalhar e trazer o pão pra sua mesa não vai cair do céu. Temos que dar a cara a tapa e correr atrás. E não ficar esperando em Deus. Sou incomodada e faço de tudo pra evoluir, mudar e melhorar. Não estou aqui para ser perfeita, se estou viva devo viver. E viver significa aproveitar tudo que é vivo. Se meus olhos enxergam, eu quero ver o que ainda não vi. Se meu pulmão tem ar, eu quero novos ares. Se posso andar, eu quero andar por onde nunca andei. Quero conhecer o que ainda não conheci. Ir aonde não fui. Comer o que não comi. Beber o que não bebi. To viva e vou aproveitar ao máximo. Quero conhecer novas línguas, novas pessoas, novas culturas. Quero conhecer o planeta. Quero voar, conhecer o céu. Quero nadar, conhecer o mar. De terra conheço pouco e quero conhecer mais. Não me contento com pouco. Ser humilde não quer dizer que devo viver de migalhas. Se eu correr atrás sei que Deus vai me abençoar. Deus é dono de toda riqueza do mundo, tenho tanta vontade de ajudar o próximo que não é nada feio eu querer ter algo a mais que a multidão. Se quero ajudar eu tenho que poder dividir. Ter uma vida boa e confortável. Afinal, essa é a vontade de Deus. -Se eu sou filha dele por que devo viver na miséria mendigando meu pão de cada dia?- Não sou incapacitada, posso muito bem estudar, fazer uma boa faculdade, conseguir um bom emprego, ter uma boa casa, um bom carro, uma boa familia. Se Deus é tudo de bom será que não vai abençoar aqueles a qual criou. Acordem, acordem bando de cegos de ilusão. Sou crente e por isso não posso aproveitar o mundo, desde quando é assim. Ser crente é viver em uma caverna longe de tudo que Deus criou e nos deu para usufruir. -Lógico que não!- No meu aniversário eu vou dançar, rir, gritar, ser feliz, fazer tudo que posso fazer. Estou viva e vou viver. Não sou uma rocha, posso sair do lugar e fazer o que quero fazer. Se Deus não me impede ninguém irá me impedir.

Música eletronica

Música eletronica me desperta uma emoção e uma sensação tão libertadora. Confesso que sou dependente dessa dose de estase diariamente. Cada batida leva meu pensar ao um pico cada vez mais alto, capaz de superar a altura do “monte Everest”. O alívio concedido por essa sinfonia é extraordinário. Me identifico tanto com cada batida que posso dizer que sou uma verdadeira “batucada”. Vou tão além que consigo flutuar. Fecho meus olhos e nada nem ninguém é mais importante que aquele meu momento. Consigo jogar um ano de fardo pesado ladeira abaixo em poucos minutos. Meu corpo vai se soltando lentamente. Minha vergonha vai se desmanchando. Movimentos conforme a batida. Um “malabaris” sempre ajuda a dar meu toque especial. Consigo enxergar tudo mesmo com meus olhos fechados. Meus pés se desprendem do chão lentamente. Sem perceber começo a flutuar. Às luzes de led que batem e rebatem em minha pessoa só me dão cor. A fumaça liberada com a ligeira batida só servem para dar impulso em meu vôo. - yeh, yeh, yeh, yeh… - Essa sensação é conhecida por meu ser desde meus poucos oito anos de idade. Aonde eu com meus pés encima dos pés da minha Irmã mais velha dava meus primeiros passos. A combinação mais perfeita para meu desabafo: Escrever e uma batida de enlouquecer gente sã. São poucos os momentos que essa garota aqui consegue se desvencilhar da timidez. E esses poucos momentos só ocorrem quando uma eletro house me leva pra outro mundo. Sinto-me como uma visitante a outros mundos, mundos coloridos e de línguas que nem o maior estudioso seria capaz de entender. - como consigo me entender com tais seres? A música é a língua universal! - Meu amor essa noite não me julgue. Preciso comemorar esse ano intensamente. - Preciso urgentemente soltar a fera que vive dentro de mim. - Meu celular ficará desligado a noite toda, vou ir para o centro da cidade. Não se preocupe, eu sei exatamente como me cuidar. Minha acompanhante tem uma experiência incabível para a idade dela. Não se preocupe, não vou beber nem tão pouco me drogar. Pois, já sou uma drogada ambulante, a música é minha única droga. Talvez essa noite eu passe de 240km por hora, mas não se preocupe. Quando a manhã chegar tudo estará bem. Só vou deixar a música me levar e quem sabe um dia você entenda isso.

O fardo

obotocorderosa:

Você deve me esquecer pro seu próprio bem. A culpa é minha de você não dar certo com mais ninguém. Não vou dizer que te quero novamente porque não sinto isso. Não sinto isso por ninguém. Não posso te fazer feliz, não posso te fazer homem, não posso te fazer meu, não posso te fazer ser o que merece…

Como eu queria que tudo não passasse de um sonho. E quando eu acordasse tudo voltaria ao normal.

Adrian Goulart. (via imensador)

Todos fecham seu olhos quando morrem, mas nem todos enxergam quando estão vivos.

Augusto Cury. (via totalizei)

Andando na corda bamba

Eu só preciso sumir por algumas horas. Ir para um lugar aonde ninguém me conhece, um lugar aonde ninguém vai me apontar o dedo e me deixar como o “foco das atenções”. Só preciso colocar tudo isso pra fora conforme a batida. Me leve, me leve para bem longe, me leve até o limite, me leve até o precipício por quê essa noite eu quero me jogar.- Me faça voar, só não me deixe cair! - Você me conhece, sabe que eu não tenho medo de nada. - Sabe que eu gosto de viver no limite! - Andar na corda bamba da morte é comigo mesmo. Não tenho medo, só quero tentar. Não preciso beber, essa noite eu só quero dançar até o amanhecer. Passos sincronizados, na mesma levada, só você e eu. Um bando de curioso em uma roda a nossa volta e nós continuamos apenas dançando sem parar. Eu preciso disso, preciso disso novamente. Apenas mais uma vez. Só mais essa vez. Quero voar novamente! Quero deixar minha mente livre, meu coração limpo e meus passos soltos. Preciso flutuar! O proibido é tão bom! Uma noitada inteira só dançando. Quero dançar até meus pés ficarem calejados. Silêncio, silêncio: você pode ouvir o mesmo que eu? - não se preocupe, não se preocupe agora.- Siga minhas coordenadas, estamos quase lá. O relógio apita e já são 5:30am e eu não vou embora até tudo isso acabar. Até o limite, até o fim! Não desisto antes de conseguir o que quero, e essa noite meu objetivo e deixar a noite me levar. A escuridão tem escondido tudo aqui. Só irei embora quando o sol clarear meus olhos. Até o fim, sem limites eu sou. Enquanto meus olhos estiverem abertos farei valer a pena, ando por milhões de quilômetros essa noite e não irei parar até minha paz encontrar.

Ela não é completamente normal. Nem anormal. Ela só é ela, com todos os seus cantos, esconderijos, degraus, pontes, abismos.

Clarissa Corrêa. (via reprovador)

parabenizando meu pai pela obra-prima que ele fez: eu

O sentimento já é tão louco e absurdo que quando eu digo ”eu te amo” não é o suficiente.

Oliver. (via f-uturapoeta)

É verdade, às vezes eu falo sem saber. Mas é que eu sinto sem saber também.

Soulstripper.    (via requiz)

Até pra ser flor é preciso ter sorte:
Algumas nascem pra enfeitar a vida,
outras, a morte.

Matilda.  (via cantodoencanto)

Você pode me dizer por que as pessoas se esforçam tanto para esconder seu eu verdadeiro? Ou por que sempre me comporto de modo muito diferente quando estou perto dos outros? Por que as pessoas confiam tão pouco nas outras? Sei que deve haver um motivo, mas algumas vezes acho horrível não poder confiar em ninguém, nem mesmo nas pessoas mais próximas.

O Diário de Anne Frank.  (via segredou)

Nunca fui do tipo que precisava de atenção, de ser amada por todos, de precisar de um namorado pra ser feliz. Sempre passei a imagem de ser forte. Mas só por isso as pessoas achavam que eu nunca chorei, que eu nunca sofri, que eu nunca amei. E esse foi o maior erro delas, achar que por ser forte eu não tinha um coração.

Gossip Girl.    (via cambaleei)